O que é Cervicite

Inflamação uterina pode trazer complicações.

Artigo publicado por Fernanda Guimarães nas categorias: Beleza, Saúde

Também conhecido como Cérvice Uterino, a cercivite trata-se de uma inflamação no colo do útero. Tal inflamação pode ter diversas causas, sendo as principais ligadas a bactérias causadoras de doenças sexualmente transmissíveis, como gonorreia, herpes e clamídia. Além disso, também é uma alteração comum em mulheres no pós-parto, assim como alguns casos tem associação com a gravidez ou uso de alguns contraceptivos orais.

A cercivite atinge, principalmente, mulheres em idade reprodutiva, no pico da sua fertilidade – entre 18 e 25 anos, em média. Em muitos casos, a mulher não apresenta os sintomas da doenças nos estágios iniciais, por isso é importante sempre ir ao médico e realizar exames preventivos, pois se o problema não for tratado com atenção, pode trazer grandes consequências futuras.

cervicite

As formas de adquirir a doença, conforme citado no primeiro paragrafo, são variadas. A alergia a produtos químicos também é um dos fatores que pode levar a cervicite, incluindo a alergia ao látex ou lubrificante da camisinha. A falta de hábitos de higiene e a multiplicidade de parceiros sexuais também favorece o aparecimento da doença.

Sintomas da Cervicite

Assim como há mulheres que não apresentam nenhum sintoma da cercivite, outras podem apresentar todos. Os sintomas mais clássicos da doença incluem dor na região do baixo ventre, dor ao toque vaginal,  febre e secreção com pus. Em alguns casos ocorre também sangramento durante relações sexuais.

Se os sintomas forem notados, a paciente deverá entrar em contato com um ginecologista, pois o diagnostico o problema é feito através do exame de papanicolau, que poderá ser pedido também baseando-se no histórico familiar da paciente, caso não haja sintomas tão claros. O exame papanicolau deve fazer parte da rotina de exames anuais das mulheres, a fim de evitar o avanço de doenças.

Tratamento e Prevenção

O tratamento deve ser adequado a necessidade da paciente e ao estágio da doença. Em geral, faz-se uso principalmente dos antibióticos e da restrição sexual. O parceiro da paciente, em caso de ser apenas um, também é analisado, pois como a doença pode ter iniciado a partir de DSTs é importante saber se há alguma bactéria no seu organismo.

colo do útero

A prevenção ocorre de várias formas, já que são diversas as formas de contágio. Nos casos de DSTs, o uso da camisinha é imprescindível para deixar a mulher segura. Mas além disso, os hábitos de higiene e a observação do próprio organismo também são necessários.  Os exercícios físicos e a alimentação adequada também são formas de evitar a doença, pois estimulam o organismo e um organismo bem protegido tem menos riscos de ser um ambiente propício para a proliferação de bactérias.

Novamente, o exame papanicolau é um aliado importante para manter a saúde do sistema reprodutor e evitar a cercivite. O exame pode ser realizado a partir dos 18 anos, ou em qualquer mulher com vida sexual ativa, independente da idade. Converse com seu médico a respeito do uso de anticoncepcionais e outros remédios, para ficar atenta às reações que o organismo podem ter a esses farmácos, que podem se associar a doença.

Fernanda Guimarães

Autora

Fernanda Guimarães é apaixonada pela área de relacionamento, sexualidade & amor. Tem ajudado milhares de mulheres a encontrarem o homem ideal através de suas dicas de atração, sedução e conquista!



Comente!




*Campos obrigatórios