Histerectomia

A histerectomia é um procedimento cirúrgico para tratamento de câncer do útero, compreenda

Artigo publicado por Fernanda Guimarães nas categorias: Beleza, Saúde

A histerectomia é a cirurgia de retirada do útero, ela pode ser uma retirada total, que inclui o colo do útero, ou apenas parcial, quando apenas o corpo do útero é retirado. Também pode ser acompanhada da retirada dos ovários e trompas, dependendo do caso.

paciente de histerectomia

Quem deve fazer a Histerectomia?

A cirurgia só é indicada em casos malignos de doenças que atinjam o útero, tais como câncer do útero, sangramentos disfuncionais que não possam ser contidos – podendo resultar em uma hemorragia, crescimento do útero e seus anexos sem explicação, prolapso pélvico – perda da musculatura, ou danos irreparáveis que atinjam o útero. Nesses casos, realizar a retirada do útero pode ser a única opção para salvar a vida de uma paciente, no entanto só deve ser realizada quando é inevitável, pois além do trauma físico causa um enorme trauma emocional a mulher. As alternativas devem ser discutidas com o médico.

O sangramento uterino disfuncional pode derivar de uma endometriose, caso surjam sinais da doença e ela seja tratada a tempo, a paciente pode nunca chegar a um nível tão crítico, o que destaca a necessidade de acompanhamento da saúde uterina e de tratamentos rápidos quando algum problema é encontrado.

Se for verificada a real necessidade de realização da cirurgia, a paciente deve realizar exames físicos e laboratoriais, permanecer de jejum, ter um preparo intestinal, realizar anti-sepsia da pele e também tricotomia, a retirada dos pelos para a cirurgia. Além desses requisitos pré-operatórios a paciente deve ter acompanhamento dos sinais vitais e acompanhamento psicológico durante todo o período que anteceder a cirurgia.

No Sistema Único de Saúde – SUS

Apesar das condições exigidas para a realização de uma histerectomia, a cirurgia é o último recurso para tratar miomas e por isso já é a segunda cirurgia mais realizada em mulheres brasileiras na idade reprodutiva pelo Sistema Único de Saúde – SUS, perdendo apenas para as cesáreas. A constante indicação dessa cirurgia como única forma de tratamento faz com que muitos critiquem a comunidade médica da rede pública, pois não há explicação para sua realização, a cirurgia é um procedimento de médio porte e perigoso, que mutila a mulher e que pode levar a complicações pós-operatórias se não tiver acompanhamento correto.

Para conseguir a cirurgia pelo Sistema Único de Saúde, se ela realmente for necessária, é preciso realizar o mesmo procedimento que para qualquer cirurgia. Há uma fila de esperada para conseguir atendimento a todos, o médico passará o encaminhamento para a cirurgia e é através dele que se consegue um lugar na fila, muitas vezes a espera pode ser por mais de um ano, dependendo do caso e  da localidade do paciente, pode haver deslocamento para a sua realização.

reprodução feminina

Nos Hospitais Particulares

Nos hospitais particulares, a cirurgia também só é realizada quando um médico a solicita, fornecendo o encaminhamento. Porém, desde que o paciente possa pagar, raros são os períodos de espera que não estejam relacionados a preparação para a cirurgia.

Os preços para a realização do procedimento podem variar, dependendo da rede de hospitais, o valor pode ir de R$ 3,200 a R$ 6.700.

Fernanda Guimarães

Autora

Fernanda Guimarães é apaixonada pela área de relacionamento, sexualidade & amor. Tem ajudado milhares de mulheres a encontrarem o homem ideal através de suas dicas de atração, sedução e conquista!



Comente!




*Campos obrigatórios